2

PREFEITO ELIAS DINIZ JÁ COMANDA O HNSC

FacebookTwitterGoogle+

PREFEITO ELIAS DINIZ JÁ COMANDA O HNSC
Está consumado: Elias Diniz assumiu comando do HNSC. Segundo ele, por um ano. No prédio do colégio ele entrou em 1999 para ficar 15 anos. Mas não saiu de lá ainda, quase três anos depois de vencido o prazo. Ouço dizerem por aí que em 2006, ainda prefeito de Pará de Minas, o agora deputado estadual Inácio Franco teria prorrogado a ocupação por mais quinze anos.
Pará de Minas não tem uma imprensa investigativa, que vá fundo neste assunto. Os vereadores, que são regiamente pagos para tomarem conta do patrimônio público, dormitam em suas poltronas naquela mansão de vidro e concreto.
Enquanto isto a prefeitura estaria gastando CEM MIL REAIS/mês, em aluguel de imóveis para acomodar repartições públicas municipais. O enorme prédio que é patrimônio público municipal, e abriga o colégio pertencente ao prefeito, fica no centro da cidade e pode comportar todas essas repartições sem-teto, digamos assim.
Suponhamos que o colégio pagasse um aluguel ao município, digamos no valor de DEZ MIL REAIS/MÊS, uma pechincha. Ao fim de um ano seriam 120 mil reais a mais no erário. Em dezoito anos, que é o tempo que dura a ocupação, este montante já podia ter chegado a DOIS MILHÕES, CENTO E SESSENTA MIL REAIS, que o município deixou de receber. E que muito naturalmente facilitou a vida empresarial do fundador e proprietário, que, por coincidência, agora é o prefeito da cidade.
O HNSC é gerido por uma entidade irmã gêmea daquela que foi proprietária da Escola de Comércio Nossa Senhora da Piedade. Confraria e Irmandade são palavras sinônimas.
A Confraria de Nossa Senhora da Piedade, mantenedora da FAPAM, era também a proprietária da Escola de Comércio. Há alguns anos a Confraria mantém um contencioso com o atual prefeito, relativo a dívidas contraídas pela Escola de Comércio junto a órgãos arrecadadores da União. Assumir a responsabilidade por estas dívidas, era uma das condições impostas pelo na época diretor da Escola de Comércio, Padre Gabriel Hugo, falecido em 2002, para transferir ao atual prefeito a gestão do estabelecimento.
Pelo visto a dívida não foi paga, pois a União executou a Confraria em Juízo e parte do terreno da FAPAM foi penhorado e pode ir a leilão.
Quem se der ao trabalho de ir ao Fórum de Pará de Minas poderá se inteirar melhor do assunto, que é público.
O povo pensa de forma pragmática. Certa vez, o grande lider chinês Mao Tse Tung, contestado por uma aliança com antigo adversário disse: “Não importa a cor do gato; importa se ele vai mesmo comer o rato”. Ao povo não interessa quem administra o Hospital, interessa ao povo ser bem atendido naquele lugar que um dia foi conhecido por “Santa Casa”.
Torçamos pois pelo sucesso na gestão do HNSC pelo interventor Elias Diniz. E que a Irmandade de Nossa Senhora da Conceição não venha no futuro ser penalizada como a sua irmãzinha “da Piedade”.
Como paraense/patafufense/pará-minense eu também sou defensor e dependente do nosocômio.
Mas no fundo do meu coração um temor me assalta, e acho que a todos os paraenses de Minas também: aquela desconfiança latente de que uma vez de posse da chave da casa, o interventor jamais devolva o prédio ao verdadeiro dono: o povo de Pará de Minas.
O retrospecto do interventor permite que façamos tal ilação.
Enquanto isto, oremos a prece que o Senhor Jesus nos ensinou: “Pai Nosso que estais no céu; santificado seja o Vosso Nome… (LUIZ VIANA DAVID)

Luiz David

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *